Posse Responsável

*Por Rubens Traldi Filho, adestrador, comportamentalista canino e consultor da startup DogLikers.

 

Artigo: adotar um pet ajuda no desenvolvimento das crianças | Blog Pets e Patas

Se neste ano, seu filho te surpreendeu pedindo um bichinho de estimação no Dia das Crianças, não se preocupe! Ao contrário do que muitos pais pensam, ter um pet em casa é extremamente benéfico ao desenvolvimento das crianças.

A ciência comprova que, enquanto 30% do desenvolvimento infantil é genético, 70% depende de estímulos externos (como brincadeiras, atividades e exercícios) recebidos, principalmente, até os 3 anos de idade. Assim, é imprescindível que os pais ofereçam oportunidades para que seus filhos, a partir do nascimento, possam desenvolver todo o seu potencial.

Segundo estudos realizados pela Comissão de Animais de Companhia (Comac) em parceria com profissionais do segmento pet, ter um animal provoca diversos estímulos e, essa convivência, é responsável por uma série de benefícios aos pequenos. Confira:

 

Desenvolvimento do sistema imunológico – uma pesquisa realizada pelo Instituto de Epidemiologia do Helmholtz Centre, em Munique (Alemanha), sugere que, durante a infância, a exposição a bactérias contidas na pelagem dos cachorros pode estimular o sistema imunológico e evitar futuros problemas respiratórios como asma e rinite alérgica. Isso porque, através das experiências vivenciadas, a criança desenvolve sua capacidade de defesa contra agentes variados. Mas, para isso acontecer, é essencial que o animal esteja bem cuidado e higienizado.

 

Desenvolvimento físico – a presença de um pet em casa, incentiva a prática de exercícios e a realização de atividades como engatinhar, ficar em pé, andar, equilibrar, correr, desenhar, etc, o que faz com que a criança continue a executar a ação, recebendo constantes estímulos.

 

Artigo: adotar um pet ajuda no desenvolvimento das crianças | Blog Pets e Patas

 

Desenvolvimento emocional – o vínculo criado com o animal permite que seu filho desfrute de um companheiro que sempre estará à sua disposição e que o aceita incondicionalmente. Os amigos peludos fazem a criança sentir-se mais segura, confiante, valorizada, útil e importante. Além disso, se ela for responsável por cuidar do animal, irá se sentir competente de maneira muito mais complexa do que quando aprende a fazer coisas da vida diária.

 

Desenvolvimento social – até os cinco anos de idade, a comunicação infantil é prioritariamente não-verbal, tornando-se extremamente bem sucedida quando realizada com animais, já que estes se comunicam da mesma forma. Assim, a comunicação acontece de maneira recíproca e, como o pet reage a todo tipo de estímulo, a criança percebe uma troca de cuidados, uma vez que o pet demonstra carinho nos atos positivos e rejeição em atos que venham a desagradá-lo.

 

Ao permitir que a criança tenha a oportunidade de conviver com animais de companhia desde pequena, os pais estão proporcionando ao filho uma maneira extraordinária de experimentar o mundo físico e social, consequentemente, estimulando habilidades motoras, cognitivas e emocionais, por meio do vínculo afetivo com o pet. Além disso, essa experiência pode ser maximizada se a escolha do animal incluir toda a família. A minha dica é: baixe o Au.dote, reúna a criançada e escolha um cachorrinho que combine com vocês!

 

Lembrete da Equipe P&P: um animalzinho, como um cão ou um gato, pode viver até os 17 anos e requer muitos cuidados, atenção e carinho. Por isso, a decisão deve ser muito bem pensada, afinal você será responsável por essa vida!

#Nãocompreadote #Posseresponsável #Animalnãoébrinquedo

 

assina redação

Imagem: Divulgação

Au.Dote: o primeiro aplicativo de adoção exclusivo para cães | Pets e Patas

Já pensou em encontrar o amor da sua vida pela Internet? Não, não estamos falando sobre sites de namoro e sim sobre o primeiro aplicativo de adoção exclusivo para cães: o Au.Dote. Gratuito e disponível para Android e iOS, ele funciona de forma muito semelhante ao Tinder, você confere uma lista de cãezinhos, que pode ser filtrada por localização, origem, raça, porte, idade e sexo do animal, favorita o seu escolhido (clicando no ícone de coração) e a instituição recebe um e-mail com os seus dados para a lista de interessados.

De acordo com Gustavo Monteiro, sócio fundador da empresa responsável pela empreitada, a DogLikers, uma startup de produtos e serviços para cachorros, o aplicativo surge da grande necessidade que as ONG´s possuem em encontrar, de forma mais rápida, um novo lar para seus pets. “Nossas soluções são voltadas para quem ama cachorro e faz dessa paixão um estilo de vida. Então, promover o encontro entre pessoas dispostas a dar amor a cães carentes faz parte de nossa missão. Criamos uma ferramenta que vai potencializar o belo trabalho feito por lugares sérios e idôneos”. Outro ponto importante é que todos os animais (aproximadamente mil já cadastrados) são de organizações e instituições aprovadas pela plataforma, isso garante a origem e os bons cuidados dos cães apresentados pelo Au.Dote.

Confira também o Facebook do app!

 

O P&P apoia a adoção

Hoje no Brasil, de acordo com os dados do IBGE, 44,3% dos lares brasileiros possuem pelo menos um cachorro. Ao todo, são mais de 52 milhões de cachorros por todo o País. Mas, a realidade de muitos deles, mais de 20 milhões, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), é viver nas ruas. Por isso, iniciativas como essa são tão importantes. Mas lembre-se, adotar é um gesto de amor que requer muita responsabilidade!

 

#Adotenãocompre #Adotaréumatodeamor #PosseResponsável

 

Assina cris

 

Update 06/10 – Tem nova edição da campanha Adote um Pet com Deficiência no dia 25/10, no espaço da Reserva Animal – rua Dom Henrique Mourão, 184, Peri, das 10h às 17h. Dessa vez, estarão disponíveis para adoção 5 gatos e 15 cãezinhos!

 

Imagens: Divulgação

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

 

Se a adoção já é um gesto imenso de amor, imagine levar para casa um pet deficiente? Pois é exatamente para incentivar o ato e promover a conscientização de que eles conseguem superar suas limitações e trazer muito amor para seus donos, que ocorre, nos dias 30 de agosto e 20 de setembro, o evento Adote um Pet com Deficiência.

Sob a hashhtag #especialmentediferente, a iniciativa é realizada pela Uhelp – associação civil, sem fins lucrativos, que une organizações para promover inclusão social para pessoas com deficiência física –, com as ONGs Ampara Animal e a Luiz Proteção Animal. Livia Clozel, que trabalha na área de comunicação e estratégia da empresa e adotou a Amora (foto acima) há cerca de 3 anos, acredita que o preconceito é uma deficiência. “Ela é amputada e sofreu maus tratos, demorou a se sentir segura, mas hoje é uma companheira incrível. Um pet assim tem uma vida normal, muitos deles não precisam sequer de acompanhamento médico e todos são grandes companhias!”, destaca.

 

Confira outras histórias reunidas pela Uhelp de quem adotou e é melhor amigo de um pet com deficiência:

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

Giuliana Stefanini, gerente da Luiz Proteção, adotou o Frederico há pouco mais de um ano e conta que cuida dele de forma natural. O cãozinho, da raça dachshund, tem deficiência física e precisa usar um andador nas patas traseiras, mas nem por isso deixa de fazer estripulias e encher a dona de orgulho. “É muito importante divulgar a causa, porque é muito difícil alguém adotar um pet assim. Infelizmente, eles ficam esquecidos, pois as pessoas têm preconceito”.

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

Sabrina Custódia é paratleta e faz parte, com Adriele Silva e Vinícius Rodrigues, do time Ultrability apoiado pela associação. Ela acolheu, há 3 meses, o Junior, um buldogue inglês que foi rejeitado para venda por ter lábio leporino. Sabrina explica que, apesar de ser apenas um problema estético e não de saúde, ele não pôde tirar pedigree, o que tornaria sua venda muito difícil. Para Sabrina, o fato dele ser um cão considerado fora do padrão não interferiu em nada na escolha. “Foi amor à primeira vista”.

 

Serviço:

Adote um Pet com Deficiência – 1edição

Data: 30 de agosto

Local: Praça Velorama | Rua Groenlândia, 848 | Jardim América

Horário: 9h às 18h

 

Adote um Pet com Deficiência – 2edição

Data: 20 de setembro

Local: Dog Zone Villalobos/Portinari | Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001 | Alto de Pinheiros

Horário: 9h às 18h

 

Adote um Pet com Deficiência – 3edição

Data: 25 de setembro

Local: Reserva Animal | Rua Dom Henrique Mourão, 184 | Peri

Horário: 10h às 17h

 

Assina cris

SOBRE

Blog criado pela jornalista Cris Marques, de Guarulhos/SP, apaixonada por animais, mãe do cãozinho Bilbo e das hamsters Bubbles e Marceline (que viraram estrelinha em 2016), e uma fã incondicional de informação e novidades. Quer descobrir mais sobre o mundo pet?

Então seja bem-vindo!


Saiba +

Apoio

Confira os bastidores do “III Dia do AdoCão”, realizado em São Paulo pela Pedigree:


P&P no Facebook