Banho pet

Fotos: arquivo pessoal e Puppy Haven 

Cláudia Pizzolatto, psicóloga canina especializada em comportamento animal e fundadora da BitCão | Blog Pets e PatasDar banho nos animais de estimação nem sempre é uma tarefa fácil. Quando se leva ao pet shop, existem inúmeras dúvidas, como achar um local de segurança, se é possível acompanhar o banho do cachorro e principalmente, o valor. Por isso, em tempos de crise, o banho em casa pode ser uma ótima saída. É o que explica Cláudia Pizzolatto, psicóloga canina especializada em comportamento animal e fundadora da BitCão – (Brinquedos Inteligentes para o Treinamento do seu Cão), primeira loja virtual destinada a cães com produtos especiais para ajudar na mudança comportamental e na melhoria do relacionamento entre os donos e seus animais.

 

Confira as dicas da profissional para um banho seguro e tranquilo:

Banho em casa? Confira dicas para deixar o cão tranquilo e seguro | Blog Pets e Patas

 

» Sem aperto
Dê um passeio rapidinho antes do banho para seu amigo se aliviar;

» Sem surpresas é melhor
Pegue tudo o que vai precisar (shampoo, escova, toalha, paninhos), assim não vai ter que parar no meio e ficar com um cachorro molhado e ansioso;

» Tudo é mais gostoso com recompensa
Aproveite e leve uns pedacinhos de petiscos para premiar cada uma das etapas bem sucedidas, até mesmo quando seu peludo simplesmente entrar no local do banho e estiver calmo;

» Cheirinho até debaixo d’água
Deixe o cão cheirar todo o equipamento que será usado no banho: luvas, banheira, vidro de shampoo, escova, etc. Ao final, dê um pedacinho de petisco;

» Água devagarzinho
Se você dá banho no seu banheiro, invista em um chuveirinho manual. Fica muito mais fácil do que dar banho debaixo do chuveirão;

» Um banho sem tropeços (e nem escorregões)
Um tapetinho de borracha vai fazer o peludo se sentir mais seguro e, claro, ajudar a prevenir acidentes;

» Entre o quente e o frio
Procure dar banho em um lugar que você possa fechar a porta, assim o cão não fica desesperado para fugir (e sair correndo como um maratonista). Se não for no banheiro, escolha um local abrigado do vento. Nunca dê banho com água quente, mas procure quebrar a friagem, principalmente se o seu cão for filhote ou velhinho;

» Gentileza gera gentileza
Tenha paciência, seja gentil com seu amigão. Vá trabalhando aos poucos e dando tempo para o cão se acostumar com o desconforto do banho;

» De cima para baixo
– Faça uma “coleira de espuma” em volta do pescoço do peludo para evitar que as pulgas (se houver) corram todas para a cabeça do bichão. Depois vá massageando o shampoo do pescoço para o rabo. Volte para a cabeça e finalize ali;

» Arde ou não arde?
Use sempre shampoo para cachorros formulado para não arder nos olhos. Mesmo usando um shampoo assim, não deixe a espuma entrar nos olhos dele, pois pode causar desconforto ou irritação; Uma boa dica são os bioflorais que além de limpar e perfumar, acalmam o animal e trabalham de forma terapêutica.

» Massagem relaxante
Uma massagem bem gostosa ajuda a espalhar o shampoo e remover a sujeira, mas o melhor é o carinho que você dá para o bichão. Você também pode usar uma rasqueadeira de borracha para fazer a massagem, mas sempre termine usando seus dedos, pois nada é igual à mão da pessoa amada (pelo cão);

» Tá limpo
– Enxague bem, até a água sair bem limpinha e o pelo ficar sem nenhum sinal de resto de shampoo;

» Enroladinho e com carinho
Não economize na qualidade da toalha. Quanto maior e mais felpuda, melhor ela vai enxugar o cão e facilitar a sua vida. Feita de maneira gentil e delicada, a etapa da toalha funciona como um grande carinho e uma recompensa pelo bom comportamento (ou pelo menos tolerância) durante o banho. Se o pelo for longo, não esfregue muito para frente e para trás para não deixá-lo excessivamente embolado;

» E por falar em enrolado e embolado
– Ainda com o pelo úmido, aproveite para aplicar um fluído desembaraçador e evitar aqueles puxões horríveis na hora de escovar, além de deixar o pelo muito mais brilhoso e macio;

» Pelo bom ou pelo mau
– Não precisa esperar o fim do banho para dar pedaços de gostosura para o seu amigão. Pode recompensá-lo durante o banho todo, assim ele vai ficar cada vez mais tranquilo na hora do banho. Mas, se ele não é tão amigão assim quando precisa da sessão limpeza, use uma focinheira de plástico, que pode ser molhada sem problemas e o peludo ainda pode abrir a boca normalmente para arfar e ganhar pedacinhos de petisco (quando estiver comportado, é claro!).

 

assina redação

Imagens: Divulgação

Banho de ofurô no Inverno | Blog Pets e Patas

 

Você já ouviu falar em banho de ofurô para pets? Pois bem, existe e a Pet Society tem!

Essa é uma técnica terapêutica que simula o período de gestação, o melhor período que um ser pode vivenciar. As sessões são capazes de trazer saúde e mais qualidade de vida para o animal, além de sua função calmante.

Banho de ofurô no Inverno | Blog Pets e PatasPor se tratar de um banho de imersão, com temperatura entre 36º a 40ºC, é ideal para os períodos mais frios do ano. Seus principais benefícios são o relaxamento, combate ao estresse, melhora na circulação sanguínea, aumento do metabolismo, prevenção do envelhecimento precoce e ajuda na eliminação de toxinas.

Ele funciona, principalmente, para relaxar os bichinhos e pode ser feito como complemento à fisioterapia e tratamentos alternativos, entre eles a acupuntura, por exemplo.

Vale apenas lembrar que as sessões não são indicadas para cães e gatos hipotensos, idosos que apresentam constantes oscilações de pressão sanguínea e filhotes, pois os banhos em ofurô abaixam a pressão. #ficadica

 

assina redação

Foto: Banco de imagens

 

A escolha do pet shop | Blog Pets e Patas

 

Entregar o pet aos cuidados de outra pessoa não é uma tarefa fácil, afinal, os donos sempre procuram agir com o maior cuidado e amor do mundo e não dá para esperar menos dos prestadores de serviço do setor, não é mesmo? Por isso, é necessário definir bem os profissionais que farão parte da vida do bichinho, escolhendo a dedo clínica veterinária, pet shop, pet sitter e outros.

Pensando nisso, Amanda Martins, veterinária do Planet Dog Resort – empresa no Brooklin, na capital paulista, que oferece serviços de Daycare (creche para cachorros), hotel, SPA e adestramento –, deu algumas dicas para acertar na escolha do pet shop. “Algumas pessoas acabam levando seu peludinho no mais perto de casa, o que facilita o levar e buscar. Porém, há um problema nisso, pois não dá para confiar em qualquer lugar. É muito importante que se faça uma boa pesquisa sobre o estabelecimento”, explica.

Segundo ela, o primeiro detalhe a ser observado é a limpeza do local, o espaço, se há toalhas brancas e esterilizadas e o aspecto dos funcionários. Shampoos, tinturas e até perfumes para cães são oferecidos em praticamente todos os pets, mas é preciso discernimento para utilizá-los. Alguns desses cosméticos são indicados para tratamento de problemas de pele e são muito bem aceitos, porém outros, apenas com função de limpeza ou higiene, podem ser utilizados desde que haja orientação de um veterinário e sejam específicos para cuidado animal.

Ela ainda cita como ponto importante a frequência do banho. “Os pets menores que vivem dentro de casa costumam tomar banhos quinzenais ou até semanalmente. Já para os cachorros maiores, que não têm contato com ambiente íntimo da casa, o prazo pode ser de 15 a 30 dias. A falta de banho pode prejudicar o animalzinho devido ao excesso de bactérias que ficam na pele”.

Além disso, é muito importante questionar os donos e responsáveis pelo estabelecimento sobre as capacitações técnicas das pessoas que estão envolvidas diretamente no cuidado do peludinho. Uma visita surpresa, alguns momentos antes da hora marcada para a retirada do bichinho, também pode ser um recurso interessante para saber realmente o que acontece no local.

“Sou mãe de um peludo também e trato todos os meus hóspedes como gostaria que o meu fosse tratado. É importante que as famílias visitem, questionem e observem a forma como trabalham, pois somente assim poderão avaliar a seriedade que o estabelecimento transmite. É essencial saber se o lugar é adequado ao seu melhor amigo e ficar de olho em seu comportamento na volta para casa. Se notar que ele sempre chega estressado ou não gosta do lugar aonde vai, tente achar outro no qual ele se sinta melhor”, enfatiza a proprietária do Planet Dog Resort, Luciana Praxedes.

 

assina redação

SOBRE

Blog criado pela jornalista Cris Marques, de Guarulhos/SP, apaixonada por animais, mãe do cãozinho Bilbo e das hamsters Bubbles e Marceline (que viraram estrelinha em 2016), e uma fã incondicional de informação e novidades. Quer descobrir mais sobre o mundo pet?

Então seja bem-vindo!


Saiba +

Apoio

Confira os bastidores do “III Dia do AdoCão”, realizado em São Paulo pela Pedigree:


P&P no Facebook