Update 06/10 – Tem nova edição da campanha Adote um Pet com Deficiência no dia 25/10, no espaço da Reserva Animal – rua Dom Henrique Mourão, 184, Peri, das 10h às 17h. Dessa vez, estarão disponíveis para adoção 5 gatos e 15 cãezinhos!

 

Imagens: Divulgação

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

 

Se a adoção já é um gesto imenso de amor, imagine levar para casa um pet deficiente? Pois é exatamente para incentivar o ato e promover a conscientização de que eles conseguem superar suas limitações e trazer muito amor para seus donos, que ocorre, nos dias 30 de agosto e 20 de setembro, o evento Adote um Pet com Deficiência.

Sob a hashhtag #especialmentediferente, a iniciativa é realizada pela Uhelp – associação civil, sem fins lucrativos, que une organizações para promover inclusão social para pessoas com deficiência física –, com as ONGs Ampara Animal e a Luiz Proteção Animal. Livia Clozel, que trabalha na área de comunicação e estratégia da empresa e adotou a Amora (foto acima) há cerca de 3 anos, acredita que o preconceito é uma deficiência. “Ela é amputada e sofreu maus tratos, demorou a se sentir segura, mas hoje é uma companheira incrível. Um pet assim tem uma vida normal, muitos deles não precisam sequer de acompanhamento médico e todos são grandes companhias!”, destaca.

 

Confira outras histórias reunidas pela Uhelp de quem adotou e é melhor amigo de um pet com deficiência:

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

Giuliana Stefanini, gerente da Luiz Proteção, adotou o Frederico há pouco mais de um ano e conta que cuida dele de forma natural. O cãozinho, da raça dachshund, tem deficiência física e precisa usar um andador nas patas traseiras, mas nem por isso deixa de fazer estripulias e encher a dona de orgulho. “É muito importante divulgar a causa, porque é muito difícil alguém adotar um pet assim. Infelizmente, eles ficam esquecidos, pois as pessoas têm preconceito”.

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

Sabrina Custódia é paratleta e faz parte, com Adriele Silva e Vinícius Rodrigues, do time Ultrability apoiado pela associação. Ela acolheu, há 3 meses, o Junior, um buldogue inglês que foi rejeitado para venda por ter lábio leporino. Sabrina explica que, apesar de ser apenas um problema estético e não de saúde, ele não pôde tirar pedigree, o que tornaria sua venda muito difícil. Para Sabrina, o fato dele ser um cão considerado fora do padrão não interferiu em nada na escolha. “Foi amor à primeira vista”.

 

Serviço:

Adote um Pet com Deficiência – 1edição

Data: 30 de agosto

Local: Praça Velorama | Rua Groenlândia, 848 | Jardim América

Horário: 9h às 18h

 

Adote um Pet com Deficiência – 2edição

Data: 20 de setembro

Local: Dog Zone Villalobos/Portinari | Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001 | Alto de Pinheiros

Horário: 9h às 18h

 

Adote um Pet com Deficiência – 3edição

Data: 25 de setembro

Local: Reserva Animal | Rua Dom Henrique Mourão, 184 | Peri

Horário: 10h às 17h

 

Assina cris

História da jornalista Cris Marques | Pets e Patas

Minha paixão por animais começou antes mesmo de eu ter noção disso. Desde pequena, convivia com os cães das minhas avós − Dadani (foto), Digby e Pretinho. Depois disso, ganhei minha própria cadelinha, a Natasha, que também morou com minha avó materna, pois eu morava em apartamento, a pastora alemã Winnie, do meu avô, e os peixinhos que meu padrasto comprava na feira.

Já morando em uma casa grande, tive uma hamster sírio, seguida de duas (ou dois, não sabia na época) hamsters chinês, um cocker chamado Bidu, dois gatos pseudoadotados (moravam pela vizinhança e ficaram um tempo em nosso quintal), alguns peixes Betas e duas chinchilas, a mãe Bianca (nome horrível, eu sei, mas foi dado pela minha irmã Bárbara, uma criança na época) e a filha Pikachu.

História da jornalista Cris Marques | Pets e PatasAo crescer, morei por um período com meu pai (sim, meus pais são separados desde que tenho uns 4/5 anos) e fiquei apenas com cãezinhos “emprestados” (Pepê, que era do então namorado; Amendoim, da sogra e a Phoebe, da minha mãe). Já em meu primeiro apartamento, tive o Tofu, um hamster sírio que já virou estrelinha, e o Fido Dido (foto), cachorro que adotei e hoje mora na sogra (tem post sobre isso no blog). Antes mesmo dessa mudança, chegou o Bilbo, cãozinho que marido adotou e hoje é o amor da minha vida, e as hamsters Marceline e Bubbles, também da raça sírio.

A experiência na prática é grande, mas, se isso já não bastasse, sou jornalista e, trabalhando com textos e web, senti a vontade de externar essa minha paixão em um blog: o Pets e Patas. De sofá comido a hamster com gripe e conjuntivite, passando por cachorro na creche de segunda a sexta, pretendo postar por aqui meus (muitos) relatos e também curiosidades, produtos, dicas e matérias exclusivas sobre esse universo pet, tão vasto e apaixonante.

 

História da jornalista Cris Marques | Pets e Patas

 

Se você, assim como eu, também adora animais, um bom causo e novidades, encontrou seu lugar. Seja bem-vindo!

 

Assina cris

SOBRE

Blog criado pela jornalista Cris Marques, de Guarulhos/SP, apaixonada por animais, mãe do cãozinho Bilbo e das hamsters Bubbles e Marceline (que viraram estrelinha em 2016), e uma fã incondicional de informação e novidades. Quer descobrir mais sobre o mundo pet?

Então seja bem-vindo!


Saiba +

Apoio

Confira os bastidores do “III Dia do AdoCão”, realizado em São Paulo pela Pedigree:


P&P no Facebook