Social

Imagem: Divulgação

Au.Dote: o primeiro aplicativo de adoção exclusivo para cães | Pets e Patas

Já pensou em encontrar o amor da sua vida pela Internet? Não, não estamos falando sobre sites de namoro e sim sobre o primeiro aplicativo de adoção exclusivo para cães: o Au.Dote. Gratuito e disponível para Android e iOS, ele funciona de forma muito semelhante ao Tinder, você confere uma lista de cãezinhos, que pode ser filtrada por localização, origem, raça, porte, idade e sexo do animal, favorita o seu escolhido (clicando no ícone de coração) e a instituição recebe um e-mail com os seus dados para a lista de interessados.

De acordo com Gustavo Monteiro, sócio fundador da empresa responsável pela empreitada, a DogLikers, uma startup de produtos e serviços para cachorros, o aplicativo surge da grande necessidade que as ONG´s possuem em encontrar, de forma mais rápida, um novo lar para seus pets. “Nossas soluções são voltadas para quem ama cachorro e faz dessa paixão um estilo de vida. Então, promover o encontro entre pessoas dispostas a dar amor a cães carentes faz parte de nossa missão. Criamos uma ferramenta que vai potencializar o belo trabalho feito por lugares sérios e idôneos”. Outro ponto importante é que todos os animais (aproximadamente mil já cadastrados) são de organizações e instituições aprovadas pela plataforma, isso garante a origem e os bons cuidados dos cães apresentados pelo Au.Dote.

Confira também o Facebook do app!

 

O P&P apoia a adoção

Hoje no Brasil, de acordo com os dados do IBGE, 44,3% dos lares brasileiros possuem pelo menos um cachorro. Ao todo, são mais de 52 milhões de cachorros por todo o País. Mas, a realidade de muitos deles, mais de 20 milhões, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), é viver nas ruas. Por isso, iniciativas como essa são tão importantes. Mas lembre-se, adotar é um gesto de amor que requer muita responsabilidade!

 

#Adotenãocompre #Adotaréumatodeamor #PosseResponsável

 

Assina cris

 

Update 06/10 – Tem nova edição da campanha Adote um Pet com Deficiência no dia 25/10, no espaço da Reserva Animal – rua Dom Henrique Mourão, 184, Peri, das 10h às 17h. Dessa vez, estarão disponíveis para adoção 5 gatos e 15 cãezinhos!

 

Imagens: Divulgação

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

 

Se a adoção já é um gesto imenso de amor, imagine levar para casa um pet deficiente? Pois é exatamente para incentivar o ato e promover a conscientização de que eles conseguem superar suas limitações e trazer muito amor para seus donos, que ocorre, nos dias 30 de agosto e 20 de setembro, o evento Adote um Pet com Deficiência.

Sob a hashhtag #especialmentediferente, a iniciativa é realizada pela Uhelp – associação civil, sem fins lucrativos, que une organizações para promover inclusão social para pessoas com deficiência física –, com as ONGs Ampara Animal e a Luiz Proteção Animal. Livia Clozel, que trabalha na área de comunicação e estratégia da empresa e adotou a Amora (foto acima) há cerca de 3 anos, acredita que o preconceito é uma deficiência. “Ela é amputada e sofreu maus tratos, demorou a se sentir segura, mas hoje é uma companheira incrível. Um pet assim tem uma vida normal, muitos deles não precisam sequer de acompanhamento médico e todos são grandes companhias!”, destaca.

 

Confira outras histórias reunidas pela Uhelp de quem adotou e é melhor amigo de um pet com deficiência:

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

Giuliana Stefanini, gerente da Luiz Proteção, adotou o Frederico há pouco mais de um ano e conta que cuida dele de forma natural. O cãozinho, da raça dachshund, tem deficiência física e precisa usar um andador nas patas traseiras, mas nem por isso deixa de fazer estripulias e encher a dona de orgulho. “É muito importante divulgar a causa, porque é muito difícil alguém adotar um pet assim. Infelizmente, eles ficam esquecidos, pois as pessoas têm preconceito”.

 

Adote um Pet com Deficiência tem duas edições em SP | Pets e Patas

Sabrina Custódia é paratleta e faz parte, com Adriele Silva e Vinícius Rodrigues, do time Ultrability apoiado pela associação. Ela acolheu, há 3 meses, o Junior, um buldogue inglês que foi rejeitado para venda por ter lábio leporino. Sabrina explica que, apesar de ser apenas um problema estético e não de saúde, ele não pôde tirar pedigree, o que tornaria sua venda muito difícil. Para Sabrina, o fato dele ser um cão considerado fora do padrão não interferiu em nada na escolha. “Foi amor à primeira vista”.

 

Serviço:

Adote um Pet com Deficiência – 1edição

Data: 30 de agosto

Local: Praça Velorama | Rua Groenlândia, 848 | Jardim América

Horário: 9h às 18h

 

Adote um Pet com Deficiência – 2edição

Data: 20 de setembro

Local: Dog Zone Villalobos/Portinari | Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001 | Alto de Pinheiros

Horário: 9h às 18h

 

Adote um Pet com Deficiência – 3edição

Data: 25 de setembro

Local: Reserva Animal | Rua Dom Henrique Mourão, 184 | Peri

Horário: 10h às 17h

 

Assina cris

1 8 9 10
SOBRE

Blog criado pela jornalista Cris Marques, de Guarulhos/SP, apaixonada por animais, mãe do cãozinho Bilbo e das hamsters Bubbles e Marceline (que viraram estrelinha em 2016), e uma fã incondicional de informação e novidades. Quer descobrir mais sobre o mundo pet?

Então seja bem-vindo!


Saiba +

Apoio

Confira os bastidores do “III Dia do AdoCão”, realizado em São Paulo pela Pedigree:


P&P no Facebook