Evento

Fotos: Edu Leporo e Marcelo Santos

Fotógrafo pet e corporativo, em seu próprio estúdio e no Daylight Produções Fotográficas, José Eduardo Leporo Pereira, 43, é apaixonado por animais e foi por meio dessa paixão que ele criou o projeto Moradores de rua e seus cães (MRSC): uma inquietude, um questionamento sobre a vida desses bichos que tornou-se projeto fotográfico, livro e ação social.

Edu Leporo e o projeto Moradores de rua e seus cães (MRSC)Edu Leporo, como é conhecido no mundo da fotografia, nasceu e cresceu em Guarulhos. “Por 20 anos vivi no Picanço, depois fui pra Vila Augusta e também pro Cocaia. Hoje, até pela demanda da profissão, moro na capital paulista”. Apaixonado por fotos, desde sempre, ele conta que era o fotógrafo oficial da família e, mesmo não sendo da área, lia e se informava sobre. “Ganhei uma bolsa de 50% na faculdade e fui fazer direito. Cheguei até o último semestre na FIG, mas não era o que queria. Há uns 6 anos, decidi que seria fotógrafo profissional. Na época, trabalhava numa produtora de vídeo e dentre as produções que fazia, também mexia com foto, o que aguçou ainda mais a minha vontade. Saindo de lá, fui trabalhar como encarregado de obras da Prefeitura de São Paulo e aquilo era sufocante. Foi quando comecei a estudar fotografia. Vendi meu carro, juntei dinheiro e comecei a comprar equipamento. Pedi demissão e encarei essa nova fase”, explica ele, que afirma que o grande apoio recebido da esposa foi fundamental para o sucesso da nova empreitada.

Começou fotografando eventos sociais, como aniversários e festas de amigos, além de ensaios de estúdio. Mas, foi em uma paixão de infância que ele se encontrou na profissão. “Quando era criança, lembro que minha avó Innocencia tinha uns 8, 10 cachorros em casa e sempre tinha um lugarzinho para um novo amigo. Foi ela que me ensinou, desde cedo, a importância de se ter e amar um cão. E eu pensei: por que não aliar a fotografia com o segmento pet? Atualmente, ainda são poucos os especialistas nisso. Imagina antes? Aí eu fui ser fotógrafo de pets”. Para isso, ele fez cursos, estudo e se especializou e, hoje, até ensina a técnica na cidade e em outros estados, como Blumenau, em Santa Catarina.

 

Desafios da fotografia pet

Sempre que vai começar uma nova turma, o fotógrafo pergunta se seus alunos gostam mesmo de animais. Se a resposta demorar a chegar, ele já sabe que aquilo não será para eles. “Tem que gostar de verdade, já que seu modelo vai te lamber e até fazer xixi e coco em seu estúdio. E eles têm a vontade deles. Um ensaio pet dura no máximo uns 40 minutos, e isso já é muito. É necessário estudar um pouco o animal e seu comportamento e além de todo o conhecimento, tem muito do dia a dia. Cada bicho é um bicho e você vai aprendendo com isso”, fala ele, que ministra, inclusive, cursos para donos de pets que gostam de clicar seus bichinhos de estimação.

 

O projeto fotográfico e como tudo começou

Fazendo ensaio de pet em estúdio, com peludos fofinhos, cheirosos e de banho tomado, Edu começou a se questionar sobre a vida dos animais que vivem nas ruas e foi ali que um novo projeto surgiu. “O cão é sempre companheiro, seja do dono rico, com uma boa casa, ou um simples morador de rua e sua carroça, e eu queria sempre saber como era a vida deles, na rua. Num dia comum, peguei a câmera e saí. Vinha passando pela Paulista, depois de fazer um trabalho, e encontrei o casal Neto e Shirley, com três cães, um deles sem o movimento nas patinhas de trás. Ele me explicou que eles viviam de esmolas e recicláveis e revertiam boa parte do que ganhavam para os bichos”. Sem grandes pretensões, ele postou a história no Facebook e começaram a vir pedidos e indicações de outros relatos. “Fui retratando tudo e, depois de 4 anos de pesquisas e 30 histórias contadas, recebi o convite da Startando, uma plataforma de crowdfunding, pra gente lançar isso em livro. Assim surgiu o “Moradores de rua e seus cães”. Depois de tudo isso, eu, minha esposa e alguns amigos ficamos pensando uma forma de ajudar essas pessoas e começamos a receber doações. Juntamos um grupo de 14 pessoas, todos voluntárias e, mensalmente ou a cada dois meses, vamos pra rua”.

 

Do livro ao social

Em pouco tempo, a iniciativa, que começou pequena, foi ganhando grandes proporções. “Com o apoio da Prefeitura de São Paulo, da subprefeitura e da ONG Viva ZN, conseguimos espaço em praças ou cantos da cidade. A primeira grande organização foi em agosto, na Praça Princesa Isabel. Lá juntamos a Kombosa Solidária, que serviu 300 lanches e cafés da manhã, o pessoal do Mini Gentilezas mandou 350 kits de higiene pessoal e distribuímos três mil peças de roupas e calçados. Pros pets, a ração foi fornecida pela Baw Waw, os carrapaticidas pela Bayer, as vacinas antirrábica e V10 pela Biovet Pet e as guias pela Zee.Dog”. Na ocasião, eles ainda agregaram banho e tosa, com a Simpaticão Petmóvel. “Conseguimos lavar 16 cães. Tinha pet de oito anos, que nunca havia tomado um banho. […] Nem só de ração vive o cão, então a gente procura o bem-estar dele também. Eu milito de uma forma diferente, porque não resgato, não socorro, não sou protetor, mas não discrimino quem é. Deixo o lance de castração e resgate para quem sabe e gosta. Existe ONG pra tudo e eu escolhi um caminho diferente. Lógico que no evento também chegam pessoas que não têm cães e a gente não nega ajuda, mas o foco é a dupla morador e cachorro de rua”.

Para o futuro, novidades virão e, com o livro e as exposições fotográficas, que já aconteceram no MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo), vários shoppings e até cidades do nordeste, Edu espera atrair ainda mais olhares. “Nosso plano é viajar o Brasil inteiro. A ideia é que isso vire uma corrente que, por onde passe, gere vontade e um novo núcleo para a pessoa ajudar lá mesmo, onde mora. Desde que se faça a coisa corretinha, pode usar o nome do projeto, não tem problema”, finaliza.

 

Conheça o Edu:

eduleporofotografia.wordpress.com
www.facebook.com/eduleporofotografia
www.instagram.com/eduleporofotografia

Ajude o projeto:

www.facebook.com/moradoresderuaeseuscaes
www.instagram.com/moradoresderuaeseuscaes

 

***Matéria originalmente publicada na Revista Guarulhos 119

 

Assina cris

5ª Festa da Felinopita | Blog Pets e Patas

 

Inspirada pela tradicional iniciativa da Paróquia de Nossa Senhora Achiropita, no Bixiga, que todos os anos realiza uma grande festa no mês de agosto com renda revertida para suas obras sociais, a ONG Confraria dos Miados e Latidos realizará, no dia 27 de novembro, a quinta edição da Festa da Felinopita, confraternização que reúne os apaixonados por animais em um farto almoço com receitas veganas: dois tipos de antepasto, duas entradas, quatro pratos quentes e sangria de frutas vermelhas (sem álcool) à vontade, com serviço à la carte.

A renda do evento será revertida para o cuidado com cães e gatos resgatados da rua pela instituição. O ingresso beneficente custará R$ 60, valor que apadrinha as despesas de um bichinho por um mês. O encontro ocorrerá no Pitanga Espaço Gastronômico, próximo ao Metrô Vila Madalena, e contará com apresentações de música e danças típicas, sorteios e bingo, além da venda de produtos artesanais como enfeites de Natal, chaveiros e almofadas em formato de gato, roupas e acessórios temáticos. Vale destacar que doações de sacos de ração, brinquedinhos, remédios e outros mimos para os gatinhos serão muito bem-vindos!

Os ingressos podem ser adquiridos no dia do evento ou, antecipadamente, no site da ONG. Comprando o ingresso pelo link, os participantes ainda concorrerão a prêmios que serão sorteados durante o evento. Informações podem ser obtidas por meio de contato na página da Confraria no Facebook, pelo e-mail adriana@miadoselatidos.org.br ou pelo telefone (11) 94779-8973, com Adriana Tschernev.

 
A organização

A Confraria dos Miados e Latidos foi fundada em 2007 e tem como missão acabar com o abandono de cães e gatos no Brasil – por meio do resgate e encaminhamento de animais para adoção, programas de castração e ações de conscientização da sociedade. Além da esterilização de todos os animais sob seu cuidado, atua também castrando sem custo animais de tutores de baixa renda e em ações de CED (Captura, Esterilização e Devolução – medida de controle populacional muito difundida no exterior para o manejo de colônias de felinos ariscos ou ferais). No momento, são 73 animais sob seus cuidados na sede, em São Paulo, e 15 outros em Nova Friburgo. Desde sua fundação, 2591 animais foram encaminhados para adoção, enquanto 12.428 foram castrados em mais de 234 mutirões.

 

Festa da Felinopita

Dia e horário:  27 de novembro, das 12h às 16h
Local: Pitanga Espaço Gastronômico – Rua Original, 162
Próximo ao Metrô Vila Madalena (1 km)
Ingresso: R$ 60

 
assina redação

Auktoberfest - 1º evento cervejeiro para pets | Blog Pets e Patas

Ao contrário do que muita gente pensa, os animais de estimação podem, sim, ter alguns mimos do mundo humano. Prova disso são os inúmeros lançamentos desse universo, que só aproximam os cães e seus tutores, como as cervejas especiais.

A 1ª Auktoberfest acontecerá no dia 09 de outubro, no Espaço Mixcelânia, na Vila Madalena. A versão pet da famosa festa alemã foi idealizada pela Padaria Pet, petiscaria e buffet para cães e gatos, e organizada pela Adopta Pet, projeto que resgata cães da raça bulldog e confecciona roupas sob medidas em prol dos animais abandonados, em parceria com a Associação 21 Tomates Fritos.

Durante o evento, os pets poderão saborear uma cerveja especial e apropriada para eles, sem álcool, com malte e levedo, rica em fibras e enriquecida com vitaminas A, C e D. A versão garrafa será vendida a R$ 7,50 e o chopp a R$ 5, com direito a um comedouro, e o acompanhamento ficará por conta de variados petiscos.

Já os humanos contarão com os diferentes estilos de cervejas, além dos famosos Food Trucks, com pratos típicos alemães, como Currywurst (salsichas brancas com batatas fritas), repolho refogado, salada de batatas, farofa de páprica, salsichas com cebolas caramelizadas e, de sobremesa, Strudel com sorvete de baunilha. Além disso, os visitantes também poderão optar por hambúrguer artesanal, hot dog alemão, opções vegetarianas, churros e brigadeiros gourmet.

 

Veja também:
Sábado animal com feira de adoção, exposição e atrações em Guarulhos

 

O evento é destinado para toda família e pensado no bem-estar do pet, por isso os organizadores não pouparam esforços para que o animal de estimação se sinta em casa. A Adopta Pet montará um camarim, com manicure e cabeleireiro, para embelezar os peludos; os donos que precisarem adestrar seu bichinho terão a oportunidade de conversar com o adestrador André Castilho; a creche Recreio dos Bichos preparou um espaço para os cães se divertirem e, para garantir a saúde das estrelas da festa, a Clínica Dra. Gisela Prochnow oferecerá a todos os visitantes um check-up gratuito. Para registrar todos esses momentos, o fotógrafo especializado em pets, Giovanni Del Neri, do Click nos Bichos, também marcará presença registrando toda essa interação.

Durante o evento, ainda haverá um desfile pet, que coroará a rainha e duas princesas da Auktoberfest, com direito a coroa, faixa e certificado da Pity Biju, além de um kit presente da Pet Society. As inscrições serão abertas na ocasião, às 15h.

Como toda festa tem um propósito, a 1ª Auktoberfest, além de ser um evento divertido para reunir a família e amigos, tem como objetivo principal angariar fundos para ajudar a custear as despesas dos bulldogs resgatados, em sua maioria, de abandono e maus tratos; assim, 20% de toda a verba arrecadada será destinada para o Projeto da Adopta Pet.

 

1ª Auktoberfest

Dia e horário: 9/10, das 11h às 19h
Local: Rua Mourato Coelho, 972, Vila Madalena. São Paulo/SP
Entrada gratuita

 

Assina cris

SOBRE

Blog criado pela jornalista Cris Marques, de Guarulhos/SP, apaixonada por animais, mãe do cãozinho Bilbo e das hamsters Bubbles e Marceline (que viraram estrelinha em 2016), e uma fã incondicional de informação e novidades. Quer descobrir mais sobre o mundo pet?

Então seja bem-vindo!


Saiba +

Apoio

Confira os bastidores do “III Dia do AdoCão”, realizado em São Paulo pela Pedigree:


P&P no Facebook