Saúde e Bem-Estar

Fotos: Marcelo Santos, arquivo pessoal e banco de imagens

Acupuntura para pets | Blog Pets e Patas

 

Muito utilizada em humanos, a acupuntura, um dos principais tratamentos da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), também pode beneficiar os animais de estimação. E ela não é indicada apenas para casos clínicos, como problemas ortopédicos, de coluna, inflamações ou pós-operatório, mas pode ajudar até nos distúrbios comportamentais, dermatológicos e respiratórios. “O uso da técnica em animais também é milenar. Os primeiros relatos datam de 12.000 a 2.000 a.C., com instrumentos de pedras e, a partir de 500 a.C., a utilização do bambu. Já os primeiros documentos são de 1.027 a 221 a.C. Mas foi Sun-Yang, considerado o pai da medicina veterinária tradicional chinesa, que reforçou sua utilização, principalmente nos cavalos. No Brasil, ela começou a ser difundida na década de 1980, por meio do professor Tetsuo Inada”, explica Cidalio Marcelo Teixeira, médico e cirurgião veterinário, especialista em acupuntura veterinária e proprietário da clínica Point dos Bichos, em Guarulhos.

Acupuntura para pets | Blog Pets e PatasSegundo ele, a aplicação no pet é feita da mesma forma que no humano, pois os pontos de acupuntura, também conhecidos como acupontos – locais específicos do corpo por onde circula a energia vital -, são os mesmos, guardadas as devidas proporções. “Inicialmente foram usados os pontos dos mapas humanos e, depois, por meio de adaptações, foram criados os mapas animais. […] A duração do tratamento depende muito da patologia, do caso a ser tratado, mas geralmente inicia com aplicações semanais, passando depois, de acordo com o desenvolvimento do quadro do paciente, para quinzenal ou mensal. Por fim, devido ao sucesso de vários casos, muitos tutores, mesmo após a cura, mantêm o tratamento para manutenção do estado de equilíbrio alcançado”.

Questionado sobre a dor na aplicação, o veterinário é realista. “Trata-se de uma agulha. Logo, tem ponto de dor sim. Lógico que alguns animais têm mais sensibilidade que outros e tem até os mimados pelos donos, que fazem uma cena incrível. Mas falando como acupunturista, o estágio da dor da aplicação da agulha diminui com o decorrer do tratamento, pois os acupontos inicialmente estão “infeccionados”, sendo assim, mais doloridos e sensíveis, ficando menos sensíveis com o tempo”, ressalta Marcelo.

 

Acupuntura para pets | Blog Pets e Patas

Existem várias técnicas usadas para acupuntura que, não necessariamente, fazem uso de agulhas. Conheça:

• Laser terapia

Indicada para animais muitos estressados ou que precisam de um tratamento mais rápido, já que a aplicação do laser no local é feita por segundos ao contrário da agulha, que fica de 10 a 20 minutos;

• Acupressão

Técnica usada com um objeto pontiagudo ou simplesmente a compressão com os dedos em um ponto de energia ou acuponto;

• Sementes

Utilização de algumas sementes, fixadas com auxílio de um curativo, evitando assim a perfuração com agulhas;

• Acuinjeção

Uso de fitoterápico ou fármaco. Aplicado com uma injeção em um ponto específico, o componente fica agindo por dias no local antes de ser completamente absorvido pelo organismo;

• Eletropuntura

Técnica que alia a utilização de agulhas com eletrodos, potencializando sua ação;

• Implante de ouro

Implantação de um pequeno fragmento de ouro, que, por ser um metal puro, além de ter grande potencial de transmissão de energia, não sofre oxidação, não causando reação no organismo.

 

Ferramenta de reabilitação

Acupuntura para pets | Blog Pets e PatasConhecido nas redes sociais pela página Cão tudo no focinho, Kirky, o simpático cãozinho que equilibrava coisas no focinho e hoje é famoso por suas fotos de chupeta, deu um belo susto em sua dona, a adestradora de cães Poliana Carolina Silva. “Certo dia, ele parou de andar, do nada. Acordei e ele estava embaixo da pia, imóvel. Chamei, chamei e ele veio se arrastando, sem mover as patinhas de trás. Foi simplesmente horrível. Corri com ele em um ortopedista e o diagnóstico foi hérnia de disco. Após inúmeros exames e ser descartada a necessidade da cirurgia, ele foi encaminhado para uma acupunturista”.

O tratamento começou imediatamente e, aos poucos, ele voltou a andar. “A recuperação foi bem tensa. E eram dias que pareciam que nunca iam acabar. Ele não fazia suas necessidades sozinho, teve febre e vômito por conta dos medicamentos, chorava de noite por conta da dor… A acupuntura foi essencial nesse processo e ajudou a melhorar seu equilíbrio e coordenação, atuando não só na saúde corporal, mas também em seu bem-estar mental. Hoje ele já corre, fica de pé e faz apenas uma sessão a cada 20 dias”, conclui ela, contente sobre o sucesso da recuperação.

 

Veja também:
– Musicoterapia para o pet
– Banho de ofurô
– Terapia alternativa para pets: aromaterapia

 

Tratamento preventivo

Quase três anos atrás, a vida do cãozinho Cupcake mudou completamente de rumo ao se cruzar com a da médica veterinária Maria Estrela Felício, proprietária da clínica Pet Leal, em São Paulo. “Soube por meio de uma amiga que um cachorrinho, provavelmente atropelado, tinha ficado com as patinhas do lado direito completamente comprometidas e a única solução encontrada por quem o tratava era a eutanásia. Já tinha visto cachorro só com duas patas, não do mesmo lado, como o caso dele. Sempre tive animais deficientes em casa e sei que eles se adaptam muito bem. Falei para ela que fizessem a amputação e fiquei com ele”. O pós-operatório não foi fácil, mas, depois de um mês, ele já arriscava os primeiros passos. “Durante a recuperação, postava algumas fotos e vídeos dele nas minhas redes sociais e os amigos começaram a pedir que aquelas postagens fossem públicas. Acabei criando um Instagram e um Facebook para ele”.

Acupuntura para pets | Blog Pets e PatasAndando em apenas duas patas, principalmente do mesmo lado do corpo, é inevitável que a coluna do animal fique sobrecarregada. “Encontrei na acupuntura uma forma preventiva para ajudar a alongar seu pescoço, liberar a musculatura e diminuir os pontos de dor, porque realmente a tendência é que ele tenha problemas na coluna. Hoje, ele já tem um encurtamento de cervical. São problemas que a gente não tem como evitar, mas sim como minimizar. O tratamento com as agulhas traz benefícios imensos para ele. Primeiro porque, ao contrário de uma medicação de longo prazo, ele não tem contraindicação. No dia da aplicação, ele fica mais relaxado e eu percebo que ele se sente melhor. Quando ele está em períodos de crise, que é quando ele sente dores, a acupuntura ajuda demais. É uma diferença gritante comparando-se quando ele só toma remédio ou alia isso com a técnica”, finaliza.

 

***Nota originalmente publicada na Revista Weekend 361

 

Assina cris

Colaboração: Planet Dog Resort
Fotos: banco de imagens

Regras de trânsito para o transporte de animais no carro | Blog Pets e Patas

 

Com a chegada do final do ano, do recesso e das férias, os passeios e viagens com os pets aumentam. Mas você sabe como transportar seu amigão dentro do carro de forma segura e dentro da lei? Confira mais no post de hoje:

 

É muito comum ver os cães com a cabecinha para fora da janela do carro. Embora eles gostem desse ventinho no rosto, o hábito é bastante perigoso para o animal. Com intuito de proteger o bicho contra eventuais acidentes, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) instituiu infrações médias e graves, além da possibilidade de multas para os motoristas com pets.

Segundo o artigo 169 do CTB, peludo com a cabeça para fora pode resultar em uma multa de R$ 53,20 e três pontos na carteira. Já quem dirige com o animal no colo ou do lado esquerdo pode receber a cobrança de R$ 85,13.

 

Como passear de carro com o seu cachorro de forma segura?

 

» Mantenha ele protegido, sempre

Nunca ande de carro com seu pet sem nenhum tipo de proteção para ele, principalmente se estiver dirigindo sozinho. Use caixas, cadeiras apropriadas ou cinto de segurança.

Em lojas especiais para pets, existem esses equipamentos. Ah e quando tiver alguém no carro, o carona pode levá-lo no colo, sem problema algum.

O transporte correto do animal é importante não só para evitar multas, como também prevenir eventuais acidentes caso ocorra algum imprevisto, como freadas bruscas ou colisão.

 

Veja Também:

– Cuidados com o pet no carro (com dica de produtos)
– Viagem com o pet
– Quando adestrar o pet é necessário

 

» Riscos ao transportar o animal solto

• O motorista pode ficar preocupado com o pet, que está sozinho atrás, e tirar sua atenção do trânsito;

• Por algum motivo, o bcho pode atrapalhar o motorista e até mesmo provocar um acidente;

• Os peludos gostam de receber ar fresco na janela, porém o costume agora está sujeito à multa, além de ser perigoso para sua integridade física.

 

» Quais medidas de segurança devem ser usadas?

Regras de trânsito para o transporte de animais no carro | Blog Pets e Patas• Cães de pequeno porte podem usar um cinto peitoral, que é adaptado para ser preso junto ao cinto do carro.

• Cachorros grandes podem ser transportados na carroceria do carro, devidamente alojado dentro de uma caixa específica para seu porte. Jamais prenda o animal com cordas, pois isso pode provocar enforcamento;

• Para os gatos, a melhor opção é a tradicional caixa de transporte, assim eles se sentem mais seguros e protegidos e não correm risco de ferimentos.

 

Curtiu as dicas? Então conheça o Planet Dog Resort!

 

assina colaborador

Foto: divulgação

Matéria com 5 motivos para realizar o check-up animal | Blog Pets e Patas

 

A visita periódica e regular a um veterinário é fundamental para garantir a saúde e a longevidade do pet. Assim como os humanos, os animais de estimação também precisam realizar um check-up para monitorar se o organismo está funcionando normalmente ou se há alguma alteração. Porém, no caso deles, a indicação é que esses exames sejam realizados, pelo menos, duas vezes ao ano.

Renata Piazera, farmacêutica e fundadora da Fórmula Animal – farmácia de manipulação veterinária especializada em oferecer medicamentos manipulados em formatos e sabores diferenciados, sempre visando à prevenção, tratamento e bem-estar dos pets, além da adesão dos animais ao tratamento – elencou os cinco principais motivos para realizar o check-up regularmente nos pets. Confira:

 

1. Prevenção de doenças

Os exames de rotina são a melhor forma de prevenir doenças e conseguir diagnóstico precoce. Durante as consultas, o veterinário se baseia, principalmente, nas informações fornecidas pelos donos dos animais, por isso é de extrema importância que o proprietário responda todos os questionamentos do profissional, relatando qualquer alteração de comportamento, por exemplo. ”Pode acontecer de o pet nascer com alguma doença ou desenvolver uma enfermidade que os sintomas demoram a aparecer. Nesses casos, o diagnóstico precoce pode fazer toda a diferença na qualidade de vida do animal e da eficácia do tratamento”, afirma Renata.

 

2. Vacinas em dias e controle de carrapatos, pulgas e vermes

Desde seu nascimento até a velhice, os animais de estimação precisam de determinados cuidados para garantir a sua saúde. A prevenção de doenças, principalmente em filhotes, é realizada por meio das vacinas e, para diminuir o estresse do pet nesses momentos, é fundamental que ele esteja habituado com a rotina de ir ao consultório e ser examinado pelo veterinário. No caso dos cães, por exemplo, há vacinas que não podem deixar de serem aplicadas: múltiplas virais, como a V8 e V10, que protegem contra a leptospirose, parvovirose, coronavirose, hepatite infecciosa canina, adenovirose, parainfluenza e cinomose; contra a gripe, que imuniza contra bordetellabronchiseptica e parainfluenza tipo 2, conhecida como tosse dos canis; e a antirrábica, prevenindo a transmissão do vírus da raiva, que afeta o sistema nervoso e a coordenação motora dos animais e é fatal se contraída nos humanos.

Junto com as vacinas, também é importante manter cães e gatos medicados contra pulgas, carrapatos e vermes. Geralmente, os donos só percebem que os animais estão com estes parasitas depois que os sintomas aparecem e o tratamento acaba sendo mais longo.

 

3. Férias mais saudáveis

Com as férias chegando, muitos brasileiros se programam para viajar e aproveitar o período de recesso. Porém, é preciso programar também a ida do animal de estimação ao veterinário e evitar surpresas desagradáveis, seja para quem irá levar o pet na viagem, deixá-lo com algum amigo ou parente e, até mesmo, se for ficar em um hotel para animais. Nestes casos, o check-up será fundamental para prevenção de possíveis doenças ou agravamento da enfermidade existente.

”Durante a consulta, peça para que o profissional faça um checklist de itens que não podem faltar durante a viagem, mas se o animal de estimação for ficar com parentes ou em hospedagem especial, a dica é deixar o telefone do veterinário que costuma consultar. Assim, as chances do passeio ser mais tranquilo é ainda maior”, orienta a farmacêutica.

 

4. Saúde bucal em dia

Poucas pessoas sabem, mas manter a higiene bucal do pet também é uma forma de prevenir doenças. As bactérias presentes na boca do animal podem causar problemas cardíacos, além de gengivite. Já existem no mercado escovas e pastas de dente especiais para os animais de estimação, mas se o dono tiver dificuldade em controlar o bichinho na hora da escovação, o veterinário pode ajudá-lo durante a consulta. Como diz o ditado, ”a saúde começa pela boca” e nos pets não é diferente.

 

5. Controle de obesidade

O excesso de peso pode indicar que algo está errado com o animal de estimação. Geralmente, a obesidade é provocada por sedentarismo, má alimentação e estresse, podendo causar diabetes, problemas nas articulações, doenças cardíacas, respiratórias e circulatórias. ”Cerca de 30% dos cachorros e 25% dos gatos são obesos. Para evitar que o pet sofra deste mal, o proprietário deve incentivá-lo a praticar atividades físicas, como correr atrás de algum brinquedo ou fazer caminhadas, manter uma alimentação em quantidade adequada e não se esquecer das consultas de rotina, pois, em alguns casos, a obesidade pode ter um fator genético”, finaliza.

 

Veja também:

– Cuidados com o pet no carro
– Sorriso animal: aparelho ortodôntico para cães
– Cuidado Animal: pet sitter e dog walker

 

assina redação

SOBRE

Blog criado pela jornalista Cris Marques, de Guarulhos/SP, apaixonada por animais, mãe do cãozinho Bilbo e das hamsters Bubbles e Marceline (que viraram estrelinha em 2016), e uma fã incondicional de informação e novidades. Quer descobrir mais sobre o mundo pet?

Então seja bem-vindo!


Saiba +

Apoio

Confira os bastidores do “III Dia do AdoCão”, realizado em São Paulo pela Pedigree:


P&P no Facebook