Dog

Foto: Paulo Fernandes
Com informações do blog da DogHero

Dia das Mães Au-nimal, da DogHero

 

O Dia das Mães está chegando e como mãe de cachorro também é mãe, a DogHero – plataforma que ajuda tutores a selecionar o melhor anfitrião para hospedar e cuidar de seu animal – promoveu um evento para comemorar esse vínculo tão especial.

Nomeado de Dia das Mães Au-nimal, o encontrinho reuniu cães famosos e suas mães para uma noite de cinema, pizza e amor, em Sampa.

Tudo aconteceu na Matilha Cultural – a galeria pet friendly de arte mais bacana de São Paulo. Os ilustres it-dogs que marcaram presença foram: Toddy e Bela, Gael e Bento, Ella, Mellinda, Café, Boris e Laila, Boss, Cookie e Shoyu, Beethoven, Mambo Hits, Google, Maggie Mae, Lisa, Oliver, Mada e Vader (filhote da blogueira Karen Bachini, do blog E Aí, Beleza?). Tudo foi pensado para que os cãezinhos se divertissem (muito!) com suas mães.

 

Dá o play e confira como foi essa noite especial:

 

Quer saber mais sobre a DogHero? Tem post aqui no blog sobre a plataforma!

Quer hospedar seu cachorrito no QG do Pets & Patas? Acessa meu perfil na Dog Hero! Aqui no apê é amor, cuidado, diversão e dengo garantidos! 😉

 

Assina cris

Fotos: Arquivo pessoal

 

#Dogalãsparty, uma festa AUnimal | Blog Pets e Patas

Yugen na festa da floresta

 

Acompanho diversos perfis pets na rede e sempre me deparo com ideias legais por aí. Foi assim que conheci a #dogalãsparty, uma festa virtual de cachorros no Instagram, por meio do perfil da Perola Carolline (uma cadelinha linda que foi resgatada e hoje atualiza seu perfil com fotos tão bem humoradas, diferentes e textos especiais que merece seu ).

 

#Dogalãsparty, uma festa AUnimal | Blog Pets e Patas

Nadal na festa dos esportes

 

Os sócios dogalãs

Segundo Rafaela Haefliger, mãe do Nadal, de 2 anos e 5 meses, a coisa toda começou com as postagens do Yugen e seu irmão humano que viviam convidando a galera do Instagram pra balada. Logo, Thor e o próprio Nadal toparam a noitada, seguidos do Kim (o único chow chow da galera tomada por goldens) e do Habib. Pronto, a turma dos dogalãs estava formada.

Com os cinco integrantes, a brincadeira começou a ganhar forma e, principalmente, organização. Hoje, a festa (que é apenas virtual, tá?!) “acontece” toda sexta-feira na “casa” de um cãozinho diferente. “Todo mundo queria ‘sediar’ a comemoração, então, em maio, resolvemos criar algumas regras para quem quisesse participar. E em menos de um dia tivemos 30 perfis de cachorros inscritos. Temos festas programadas até abril de 2016. O tema é o anfitrião que escolhe e divulga uma semana antes”. E já rolou de tudo um pouco: inauguração, lual, discoteca, festa dos artistas, karaokê, time de futebol, axé, sorvete, baile de gala, bandanas, filho de peixe peixinho é, esportes, reino encantado, floresta e halloween.

 

#Dogalãsparty, uma festa AUnimal | Blog Pets e Patas

Kim na festa de gala

 

Rafaela conta que não existe um convite e, para participar, é só entrar na brincadeira e postar a foto no IG usando a hashtag #dogalãsparty, que já conta com quase duas mil fotos na rede e tem novos integrantes a cada semana. Para isso, basta ficar atento ao novo tema e, na sexta à noite, postar fotos do seu pet prontinho pra curtição: vale fantasia, comprada ou feita em casa, e/ou montagem na imagem, o que manda é a imaginação.

Ah, e nem precisa ter um perfil só dele, não, a imagem pode ser postada no insta do dono também. Só não vale querer burlar a lista. “Alguns perfis já tentaram fazer a festa em suas casas em outros dias da semana. Mas não é o correto. A brincadeira oficial é sempre às sextas-feiras e segue a ordem estabelecida”, afirma.

 

#Dogalãsparty, uma festa AUnimal | Blog Pets e Patas

Habib na festa do sorvete

 

Interação e novas amizades

Acompanhar de perto os perfis participantes é outro ponto que merece destaque, porque não é só na hora da festa que tudo acontece, não. Tem pet convidando o outro, pedindo carona, “indo” junto, se programando durante toda a semana e até o after-party com cãozinho preguiçoso ou acordando descabelado depois de toda a agitação da noite anterior e, às vezes, até uma ressaca básica (de mentirinha, claro). “A intenção sempre foi a interação, além de criar novas amizades e conhecer novos pets. Tanto é que foi criado um grupo no WhatsApp com algumas mães de cachorros. Inclusive, por meio disso tudo, o Nadal teve o prazer de conhecer pessoalmente o Habib, o Kim e o Jairo e seus pais”, finaliza Rafaela.

 

#Dogalãsparty, uma festa AUnimal | Blog Pets e Patas

Thor na festa da bandana

 

No agito

Curtiu a ideia e seu pet também? Pois ele pode participar das próximas edições da #dogalãsparty. É só acompanhar a hashtag no Instagram e ficar de olho na lista das próximas festas.

 

Confira alguns dos próximos anfitriões:

» @nina_chowchow – 23/10 #festainvertidadog, meninos de meninas e meninas vestidas de meninos.
» @sophia.antunes
» @perolacarolline – a lindezinha citada no comecinho do texto
» @bolotajr

 

Assina cris

Quem nunca desconfiou que seu bichinho de estimação só falta falar?

 

Por Talita Ramos
Fotos: Anne Barbosa e banco de imagens

 

Inteligência animal: Sim, eles nos entendem | Blog Pets e Patas

Não é à toa que os cães são considerados como os melhores amigos do homem. A ciência comprovou aquilo que todo mundo que tem bichos de estimação já sabia: eles compreendem nossos sentimentos. Um estudo, realizado por pesquisadores húngaros, mostrou que os cães podem distinguir emoções. Para isso, 11 deles foram submetidos a uma ressonância magnética, que pôde escanear seus cérebros enquanto ouviam sons como risada, choro e até latido de outros cães. O teste, que foi repetido em 22 humanos, mostrou que o mesmo lado, uma área perto do córtex auditivo, região responsável por processar informações emocionais na voz, é acionado tanto em cães como em pessoas, quando submetidos a sons.

Ainda uma pesquisa da Emory University, nos Estados Unidos, provou que cérebro de cães processam emoções de modo similar ao cérebro de seus tutores. Conclusão: as pesquisas indicam que os cães apresentam um nível de consciência similar ao de uma criança. “Isso mostra que os animais têm afeto, compaixão. Eles entendem recompensas, como um petisco, por exemplo. Mostra também que sentem amor pelo seu dono. Possivelmente, o leque de emoções que um cão pode sentir é maior do que se imaginava há alguns anos atrás,” explica Fernanda Nestares Lipari, médica veterinária do Petz, antigo Pet Center Marginal.

 

Inteligência animal: Sim, eles nos entendem | Blog Pets e Patas

 

Quanto aos outros bichos de estimação, não há estudos que comprovam sua capacidade emocional. “Não temos um estudo científico como foi feito com os cães, mapeando cérebro de felinos e aves, mas acredito que eles também tenham emoções e sentimentos de afeto para com seus donos. Pessoas que têm esses animais de estimação relatam frequentemente, no consultório, atos carinhosos e de afeto, mostrando que os animais amam seus donos,” conta a médica.

 

Atenção

Você sabia que seu humor pode afetar o comportamento de seu bicho de estimação? “Quando um indivíduo está mal-humorado, ele agrada menos o seu animal de estimação, não o leva para passear e não brinca. Possivelmente, a atenção que é dada normalmente muda e eles sentem isso, da mesma forma que eles sentem quando mudamos o tom de voz, brigando por eles terem feito algo errado. Percebo também que animais que vivem em casas onde existe muita briga e gritos tendem a ser mais estressados”, afirma Fernanda.

 

Inteligência animal: Sim, eles nos entendem | Blog Pets e Patas

 

Sentimento ou instinto?

Animais muito apegados aos seus donos sentem a mudança de comportamento deles e percebem inclusive quando a pessoa está doente. “Alguns animais têm o olfato muito aguçado. O cheiro de uma pessoa doente deve fazer diferença para eles, assim como o som de um choro ou lágrimas no rosto fazem com que percebam que há algo errado”, comenta.

 

Estresse

Alguns animais apresentam um comportamento agressivo, como cães que latem demais ou lambem suas patas de modo compulsivo até fazerem feridas, ou ainda os que comem as próprias fezes. Esses problemas podem ser causados por alterações comportamentais e estresse. “Para resolver esse tipo de problema, existem diversas alternativas como a contratação de um adestrador, passear mais vezes ao dia com o animal, tentar deixá-lo o menor tempo possível sozinho e até tratamento com antidepressivos. O ideal é conversar com um médico veterinário e juntos tentarem descobrir qual o provável problema do animal e eleger a melhor terapia. Além disso, é importante dar muita atenção, carinho e amor. Não podemos esquecer que os animais de estimação são seres vivos e necessitam de cuidados com sua saúde”, explica a veterinária Fernanda.

 

***Matéria originalmente publicada na Revista Guarulhos 88

 

assina colaborador

SOBRE

Blog criado pela jornalista Cris Marques, de Guarulhos/SP, apaixonada por animais, mãe do cãozinho Bilbo e das hamsters Bubbles e Marceline (que viraram estrelinha em 2016), e uma fã incondicional de informação e novidades. Quer descobrir mais sobre o mundo pet?

Então seja bem-vindo!


Saiba +

Apoio

Confira os bastidores do “III Dia do AdoCão”, realizado em São Paulo pela Pedigree:


P&P no Facebook