Comportamento animal

Se você já gosta de cães e adora ter a presença dos pets por perto, vai ficar ainda mais feliz em ter a companhia desse parceiro em casa. Muita gente não sabe, mas, além de melhor amigo do homem, o cachorro pode ser também um grande aliado para o bem-estar e qualidade de vida humana.

Estudos indicam que a relação do dono com o seu animal de estimação pode ser essencial para a saúde física e até mental daquele que tanto ama e cuida do bichinho. Dentre esses inúmeros benefícios estão a melhora da auto-estima, aumento da prática de exercícios físicos, maior convívio social e até detecção de doenças graves, como o câncer.

E não é só isso! As vantagens de ter cães no lar se estendem a todas as pessoas, em qualquer idade. Na fase da infância, por exemplo, que é a fase da vida de maior aprendizado, as crianças aprendem valores primordiais, como respeito, responsabilidade e cuidado ao ter um pet em casa, e ainda ficam protegidas de desenvolver qualquer tipo de alergias.

Já na terceira idade, período em que as pessoas costumam viver mais isoladas por causa da idade avançada e desaceleração da rotina com outras pessoas, os bichinhos podem ser grandes companheiros, oferecendo carinho e atenção aos idosos, além de resgatar neles a sensação de prazer ao cuidar do próximo.

Ainda, para pessoas portadoras de necessidades especiais, os médicos acreditam que os benefícios são ainda maiores. A presença dos pets pode trazer melhoras visíveis à saúde nos quesitos emocionais e físicos, funcionando como agentes motivadores de terapias e tratamentos de diversos tipos.

Viu como ter cães por perto pode ser essencial para a sua saúde? Além de fofos, eles são profissionais de saúde nota 10! Confira abaixo o infográfico (para ver maior, basta clicar) com uma lista de benefícios que ter um pet pode trazer à saúde humana:

 

Benefícios que um cachorro traz para nossa saúde | Blog Pets e Patas

 

Fonte: MelhorAmigo.Dog

 

assina redação

Por Tamiris Monteiro do blog Eu na Correria
Fotos: Arquivo Pessoal

 

SP Dog Run: uma corrida boa pra cachorro | Pets e Patas

Cindy e sua medalha

 

No último domingo rolou, dentro do Shopping SP Market, a 3º edição do Dog Run e participei do evento com a minha cachorrinha: a Cindy. Juntas fizemos 2 quilômetros, distância máxima determinada pela organização da prova. Essa corrida em especial me causou certa ansiedade, não por mim, mas por não saber como a Cindy se comportaria, afinal, essa foi a primeira corrida da sua vida e posso dizer que ela arrasou e encheu a “mamãe” aqui de orgulho. Fez o percurso bonitinha e, mesmo com as patinhas curtas, concluiu a prova em menos de 14 minutos. Já é uma corredora com certeza (risos).

Bem, para os corredores que realmente gostam de cachorro, esse é um evento muito bacana de participar. Você começa a entrar no clima já no estacionamento, porque é gente e cachorro descendo dos carros o tempo todo e o silêncio do ambiente é quebrado por muitos uivos e latidos.

 

Organização

Partindo para o quesito organização, achei o evento bem estruturado, e devo confessar que amei o kit. Foi o maior e melhor de todas as provas que fiz até hoje. E se você acha que só vem brindes para o pet, engana-se, veio preparo para bolo, granola, barrinha de cereal, suplemento vitamínico, bombons, além da camiseta, número de peito e chip.

SP Dog Run: uma corrida boa pra cachorro | Pets e Patas

 

Concentração

A concentração canina aconteceu no estacionamento aberto do shopping, e por lá tudo ficou muito bem organizado também, apesar dos amiguinhos de quatro patas não segurarem xixi nem coco, não vi pontos de dejetos acumulados. Além da equipe de limpeza disponibilizada pela organização, isso foi possível pela boa educação da maioria dos donos que levaram saquinhos para recolher as fezes dos cães.

 

Alguns detalhes

Pra mim, o maior problema foi a largada, fiquei bem na linha da frente e como os cachorros se assustam com o barulho da corneta, alguns correm para o lado, outros param e nessa hora dá um medo danado das pessoas pisarem no seu mascote ou de você pisar em algum doguinho. Eu honestamente sai correndo com a Cindy, mas logo percebi que até a muvuca passar, era mais prudente caminhar. Mesmo assim, durante o percurso, muitos cães param ou querem sair da pista e você tem que estar atento no seu cachorro e nos dos corredores ao redor.
A Cindy aguentou fazer os 2 quilômetros, mas vi muitos cães quebrarem (jargão de corrida para quem desiste) no meio do caminho, ou seja, é importante respeitar os limites do animal, por isso que os organizadores fazem a cãorrida e a cãominhada, para que todos tenham oportunidade de participar.

Em conversa com um dos organizadores da Sp Dog Run, Alessandro Zonzini da Sportsfuse, ele explicou que tudo é pensado para o bem-estar dos animais. “A ideia de cãorrida foi trazida para o Brasil pela Sportsfuse e isso aconteceu porque percebemos que existiam muitas cãominhadas, mas a maioria sem uma estrutura bacana. Em parceria com a Pet Party, empresa especialista em eventos para cães, pensamos em como montar uma boa estrutura. O pessoal do resgate veterinário ajudou a elaborar o regulamento e estudamos qual seria o melhor percurso, tudo pensando na saúde dos cães. Além da corrida, o legal do SP Dog Run é a arena com diversas atrações, dando a possibilidade de os dono se divertirem também. É mais diversão do que competição”, afirma Zonzini.

 

Bob e Marley, cães celebridades

Quem curte o universo canino já deve ter ouvido falar no Bob e Marley. Os cachorros da raça golden retriever que fazem sucesso no instagram estiveram na Dog Run para fazer a cãominhada e entregar os prêmios aos vencedores. Luiz Higa Júnior, o dono dos cães, disse que preferiu optar pela caminhada por ser mais tranquilo para conduzir a dupla. “É mais fácil pra mim, pois eles acabam me puxando, e na corrida isso poderia ser um problema”, brinca.

Luiz também ressaltou a importância de os donos proporcionarem aos seus pets uma rotina saudável. “Além de ser uma competição do bem, a Dog Run é um evento oportuno para mostrar aos donos o quanto é benéfico para os animais os passeios e as brincadeiras. Eu, por exemplo, durante a semana tento pelo menos levá-los ao parque perto de casa e aos fins de semana, quando tenho mais tempo, os levo para passear comigo em restaurantes e shoppings que possam entrar”, afirma.

SP Dog Run: uma corrida boa pra cachorro | Pets e Patas

 

Cães deficientes participaram da corrida

Assim como acontece nas provas para humanos, cães deficientes também puderam participar da corrida. Foi o caso da Feiosa – que de feia só tem o nome mesmo, porque ela é linda e uma doçura. Raphael Salvador, que adotou a Feiosa depois que uma empresa decidiu fechar o canil que a mantinha, conta que decidiu participar do evento com a cachorrinha por ela ser muito elétrica e, apesar de ter tido uma das patas traseiras amputada, levar uma vida normal. “É uma cachorra completamente feliz, conseguiu fazer os 2 quilômetros com muita facilidade”, pontuou Raphael.

SP Dog Run: uma corrida boa pra cachorro | Pets e Patas

 

assina colaborador

Foto: Banco de imagens

 

Assistir TV, ter festinha de aniversário e outros comportamentos foram abordados em pesquisa com 5.000 pessoas, feita pelo serviço de hospedagem DogHero

 

3 em cada 4 cães dormem com seus “pais” | Blog Pets e Patas

 

Se, antigamente, o lugar de cães era no quintal, hoje a liberdade dentro de casa é quase total, e é cada vez mais comum os tutores dividirem tudo com seus bichinhos, até mesmo a cama. Pesquisa com 5.000 pessoas, com tutores entre 19 e 45 anos, mostra que 71% dormem com seus cães, sendo 43% frequentemente e 28% de vez em quando. O levantamento inédito aborda ainda outros comportamentos que indicam que o cachorro é, sem dúvida, parte da família.

Entre os entrevistados, 51% admitem que seus cães costumam assistir à televisão. Na sexta-feira à noite, 93% dos tutores preferem a companhia do peludo a sair para baladas. E, a cada aniversário do cachorro, 47% afirmaram ter vontade de fazer uma festa para comemorar. Dos 29% que já fizeram uma festinha de parabéns para o seu cão, 38% afirmam fazer todo ano.

“Cada vez mais os cães são membros da família, alguns mais dóceis e outros desconfiados, mas cada um com a sua personalidade e modo de agir com os tutores, visitas e desconhecidos”, afirma Eduardo Baer, sócio-diretor da empresa. Para ele, essa nova relação determina as escolhas que fazem para os seus cães. “Na hora de viajar, ele quer levar o cão junto ou deixá-lo em um ambiente familiar e afetuoso. A preocupação com cão é a que se tem com um filho”, destaca.

A pesquisa, destaca Baer, mostra na prática a mudança do perfil das famílias no Brasil. Um estudo do IBGE publicado em 2015 revela que, no Brasil, o número de famílias que criam pelo menos um cachorro é maior do que o de famílias que têm crianças. São 52,2 milhões de cães contra 44,9 milhões de crianças no país. “Além de divertir as famílias que têm filhos, o cães fazem companhia e nunca foram tão mimados e bem cuidados”.

 

Já conhece a DogHero?

Empresa que oferece residência domiciliar e personalizada aos cachorros, a DogHero é uma plataforma digital que permite que o tutor do animal selecione o melhor anfitrião para receber e cuidar de seu animal em sua ausência. Com atendimento diferenciado e afetuoso, a empresa cuida de todos os detalhes da estadia do pet, oferecendo assistência em caso de eventuais acidentes, além de todo o suporte de contato à distância entre os responsáveis e seus bichos. Qualquer amante de animais pode se candidatar para ser um anfitrião DogHero, basta entrar no site e se cadastrar – mas só são aprovadas as pessoas que possuem perfil e oferecem uma estadia confortável e satisfatória ao cachorro.

 

assina redação

SOBRE

Blog criado pela jornalista Cris Marques, de Guarulhos/SP, apaixonada por animais, mãe do cãozinho Bilbo e das hamsters Bubbles e Marceline (que viraram estrelinha em 2016), e uma fã incondicional de informação e novidades. Quer descobrir mais sobre o mundo pet?

Então seja bem-vindo!


Saiba +

Apoio

Confira os bastidores do “III Dia do AdoCão”, realizado em São Paulo pela Pedigree:


P&P no Facebook